Nova IMS admin Novembro 15, 2023 (0) (406)

Indicadores em Foco – Produção

Neste artigo, pretende-se salientar um conjunto de indicadores que se demonstram relevantes na análise do mercado de seguros de saúde e que permitem acompanhar a evolução deste segmento de negócio.

Destacamos aqueles que são os pilares da análise de qualquer segmento de negócio: prémios brutos emitidos, número de apólices e número de pessoas seguras.

A tendência de crescimento da produção do ramo Doença tem vindo a ser observada nos últimos anos, impulsionada pela pandemia decorrente da Covid-19 mas também por uma maior predisposição para a contratação de seguros de saúde, tanto a nível individual como a nível das entidades empregadoras através da inclusão deste tipo de produtos no pacote de benefícios sociais dos trabalhadores. O crescimento da produção é também notado em termos relativos. O peso do ramo Doença tem aumentado no total do negócio de não vida, representado em 2022, quase 20%.

Figura 1. Prémios brutos emitidos dos seguros de saúde

Fonte: ASF

Importa salientar que o crescimento dos prémios do ramo Doença, figura 2, de aproximadamente 12,1% em 2022 verificou-se tanto no âmbito dos seguros individuais como nos seguros de grupo, assinalando-se que o valor dos prémios do ramo Doença cresceu ligeiramente mais em 2022 quando comparado com o ano anterior.

Figura 2. Prémios brutos emitidos do seguro de saúde (à esquerda) e taxa de crescimento dos prémios dos seguros de saúde (à direita)

Analisando em detalhe a taxa de crescimento dos prémios dos seguros de saúde,  realça-se que, no período em análise, em apólices individuais essa taxa foi sempre crescente e em apólices de grupo, com exceção do ano 2021 onde se registou um decréscimo, a evolução da taxa foi de crescimento com destaque para o ano 2022, de cerca de 12,4%.

Figura 3. Número de apólices (à esquerda) e taxa de crescimento das apólices de seguros de saúde(à direita)

Fonte: ASF

Do mesmo modo, podemos constatar, na figura 3, um aumento do crescimento do número de apólices, uma vez mais impulsionado pelo aumento do número de apólices de seguro de grupo, que atingiu em 2021 um crescimento muito significativo. Em 2022 constata-se um crescimento menos acentuado, mas ainda assim de 2,3% nas apólices individuais e de 6,7% nas apólices de grupo.

Figura 4. Número de pessoas seguras (à esquerda) e taxa de crescimento do número de pessoas seguras em seguros de saúde(à direita)

Fonte: ASF

Por último, no que toca ao número de pessoas seguras, observa-se na figura 4 um crescimento contínuo, em 2021 mais significativo nas apólices individuais e em 2022 mais acentuado nas apólices de grupo.

Decorre destes números a constatação inequívoca de um interesse crescente por parte da população na contratação destes produtos para poderem aceder a cuidados de saúde de um modo mais célere e com maior opção de prestadores. Esta preocupação manifesta-se, pois a um nível individual, com um crescimento, em 2022, de 4,2% do número de pessoas seguras em apólices que o consumidor subscreve para si ou para o seu agregado familiar, mas também a nível do tecido empresarial português, que percecionou como benefício valorizado pelos trabalhadores a oferta de um seguro de saúde de grupo, tendo no último ano sido registado para este um crescimento de 10,1% face ao ano anterior, provavelmente muito impulsionado pelas pequenas e médias empresas.


Prémios brutos emitidos (PBE) de seguro direto, relativos à comercialização, em Portugal, de produtos no âmbito do ramo doença, previsto na alínea b) do artigo 8.º da Lei n. º147/2015, de 9 setembro.

Related Posts